Notícias

Santa Luzia: Projeto de extensão "Restaurando Vidas", desenvolvido pela IES, atende dependentes químicos

Data: 19/03/2019 | 0 Comentário


Compartilhe

          

 

A extensão universitária atua na viabilização da relação transformadora entre universidade e comunidade, possibilitando, assim, uma formação acadêmica voltada às necessidades sociais. Foi tomando como base essa premissa que nasceu o projeto de extensão “restaurando vidas”, que leva em consideração a necessidade de assistência a indivíduos em estado de dependência química no município de Santa Luzia.

A utilização de substâncias químicas não é algo novo, porém, seu uso tem aumentado significativamente nos últimos anos. Esse aumento traz a necessidade de se discutir seus efeitos prejudiciais à saúde sobre o organismo de seus usuários. Observa-se que o problema trazido pelas substâncias químicas não é somente físico, mental ou social. Acredita-se que o problema vem em conjunto e muitas vezes é só percebido após sua instalação. Além das desordens mentais e de comportamento, os dependentes químicos apresentam também alta prevalência de doenças crônicas e cardiovasculares Existe ainda uma maior tendência ao sedentarismo, que associados a uma alimentação inadequada contribuem significativamente para os problemas mentais e físicos que acometem essa população.

Dentre as inúmeras atividades que podem contribuir para o tratamento da dependência química, acredita-se ser importante a inserção de programas que abordem a promoção da saúde através da prática de atividade física. Postula-se que a atividade física regular possa contribuir tanto para a melhora da condição de saúde em geral quanto para o combate a vício.

Assim, o projeto de extensão “restaurando vidas” tem por objetivo contribuir com o processo de recuperação de dependentes químicos da ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO JERICÓ, localizada na cidade de Santa Luzia – MG, desenvolvendo práticas preventivo-promocionais, permitindo: por um lado uma formação acadêmica voltada às necessidades sociais; por outro, a  transmissão de informações que possibilitam às pessoas acolhidas um maior controle sobre as condições que afetam sua saúde. Constitui objetivo do projeto ainda desenvolver grupos de atividade física regular com os acolhidos a fim de melhorar o condicionamento físico e cardiovascular e a autoestima, facilitando assim sua recuperação e reinserção na sociedade.

As atividade do projeto foram iniciadas em novembro de 2018. Atualmente são desenvolvidas atividades duas vezes na semana, das 17h às 18h.

 

 

 

 

   




Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado.




    Seja o primeiro a comentar!