Notícias

Duque de Caxias: Egressa do curso de Serviço Social recebe Prêmio Diploma Mulher Cidadã Leolinda de Figueiredo Daltro no Palácio Tiradentes

Data: 21/03/2019 | 0 Comentário


Compartilhe

          

O mês de março chegou e com ele as atividades de comemoração, mobilização e luta do Mês das Mulheres. A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da ALERJ, na segunda-feira, 11 de março, realizou dentre várias atividades, a entrega do Prêmio Diploma Mulher Cidadã Leolinda de Figueiredo Daltro, oferecido àquelas que se destacam na luta pela defesa de melhores condições de vida, trabalho, renda e dignidade das mulheres fluminenses. Foram 14 agraciadas, homenageadas em um cerimônia que ocorreu no Plenário Barbosa Lima Sobrinho - Palácio Tiradentes.

Dentre elas, destaca-se com muito orgulho a Marilza Barbosa Floriano, egressa do curso de Serviço Social da Faculdade de Duque de Caxias, articuladora do projeto Direito à memória e Justiça Racial do Fórum Grita Baixada, integrante da Rede de Mães e Familiares da Baixada Fluminense - RJ, do Movimenta Caxias e da Frente Estadual Pelo Desencarceramento.

Sua história de vida é marcada desde cedo pela resistência e luta, é a única menina de um total de cinco filhos de seus pais. Nasceu, cresceu e vive até hoje no Morro do Sossego no Bairro do Pantanal, em Duque de Caxias. Sua história não difere muito das inúmeras mulheres que tiveram sua infância interrompida por ter um pai causador de violência doméstica. Aos 15 anos, foi trabalhar em casa de família. Devido às violências sofridas, sua mãe desencadeou o alcoolismo e mais tarde veio a falecer. 

Aos 33 anos, resolveu voltar a estudar e, em 2013, se formou em Bacharel em Serviço Social pela Faculdade de Duque de Caxias, o que em muito orgulha a instituição. É uma egressa sempre presente nas atividades da faculdade, momento no qual divulga seus trabalhos enquanto ativista e incentivadora da luta pelos Direitos Humanos na Baixada Fluminense, em particular Duque de Caxias, onde seu objetivo é acolher, empoderar,  e encaminhar mulheres vítimas não só da violência doméstica mas da violência que atinge os direitos, a honra e a liberdade dessas mulheres.

 




Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado.




    Seja o primeiro a comentar!