Notícias

UNIESP – Duque de Caxias: Docente da Faculdade de Duque de Caxias é eleito para assumir a cadeira 39 da Academia Fluminense de Letras

Data: 06/11/2017 | 0 Comentário


Compartilhe

          

Prof. Flavio Chame Barreto, da Faculdade de Duque de Caxias, a partir de sua produção de livros, 20 obras nos últimos 10 anos, e de sua participação como palestrante em eventos de diversas Faculdades, entre elas UFRJ, UFF, UERJ, foi eleito por unanimidade para assumir no próximo dia 9 de novembro de 2017, a cadeira 39 da Academia Oficial de Letras do Estado do Rio de Janeiro, a centenária Academia Fluminense de Letras - AFL.

O docente foi indicado pelo próprio presidente da Academia, Dr. Waldenir de Bragança, que acompanhou seus últimos trabalhos e por vezes prestigiou alguns desses eventos.

Flavio formou-se em Biologia, especializou-se em Educação e depois concluiu seu mestrado em Computação, sendo todos os seus estudos realizados na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente, cursa na Universidade Brasil seu doutorado em Engenharia Biomédica.

Em sua graduação, no início da década de 1980, ainda não existia praticamente computadores pessoais nas residências e escolas do país. Por esse motivo, ele mesmo construía e usava jogos educativos computacionais na aprendizagem de conteúdos de Biologia. Esse pioneirismo foi determinante para se tornar uma referência no estudo da Informática Educacional no país e também o levou a escrever quatro livros sobre a temática, além de concluir um mestrado, e, desta forma, explicar sua formação acadêmica e a diversidade de suas obras, que ainda incluem livros de Biologia, Romances e Poesias.

Sua outra paixão é a etimologia das palavras e por essa razão, após alguns anos de trabalho e pesquisas, publicou o clássico livro “Biocionário” que consequentemente originou outros voltados à origem dos termos que são usados na área da Biologia e também o livro “Qual o nome perfeito para meu filho? ”, seguindo a mesma vertente de pesquisa etimológica dos nomes próprios existentes em nossa língua portuguesa.


Outras obras que o levaram à Academia Fluminense de Letras

Até a presente data, Flavio publicou quinze livros didáticos nas áreas da Saúde, Educação e Informática, das quais se destacam: “Informática descomplicada para Educação”, “Informática x Professor: Como simplificar e diminuir essas distâncias”, “Scratch: Construa brincando seus jogos computacionais”, “Estratégias docentes eficazes”, “Interdisciplinaridade no Ensino Superior”, “Educação escolar”, “Os parasitas mais importantes do Brasil: das amebas aos governantes”, “Parasitologia Básica Descomplicada”, “Como educar uma criança chamada Brasil”, “A Neurociência da Corrupção”, “Trabalho de conclusão de curso descomplicado” e “Integração e Relações Pessoais”.

Recentemente, publicou dois romances: “Os Milagres de Kari: O amor como testemunha da Colônia à República”, “O Fogo inexplicável dos desejos” e também um livro de poesias intitulado: “Linhas Hialinas”, que mostra uma produção literária rica e muito diversificada. Essa vida dedicada à docência, produção de livros e consequentemente ao engrandecimento da sociedade, recebeu o reconhecimento da nobilíssima e centenária Academia Fluminense de Letras que o elegeu para ser mais um dos seus imortais incumbidos em defender a Educação e preservar a história literária brasileira e os respectivos nomes que a construíram.


Os rumos da posse

Após ser empossado, Flavio participará das atividades que em geral são voltadas para a defesa da língua pátria, estímulo à Educação, divulgação de livros, formação de novos escritores e leitores, valorização da cultura brasileira, preservação da História literária e seus artífices entre outras funções.

Além das novas atribuições, lecionar continua fazendo parte da sua rotina profissional. “Dar aula é a minha grande motivação como docente e meu objetivo de vida pessoal e profissional, e inclusive o que certamente me possibilitou chegar à AFL”, explicou o professor Flavio.

Seu objetivo é persistir na distribuição de saberes, onde continua a buscar em diferentes fontes para compartilhar diretamente em sala de aula com seus alunos e também produzir livros para modificar para melhor todo o restante da sociedade.

Para ele, foi uma agradável surpresa ter seu trabalho de vida reconhecido de forma tão natural por nobilíssimos acadêmicos de diferentes segmentos literários e na sua maioria ligados às instituições de ensino superior com grandes renomes e respeito nacional.

“Ouso acreditar que raríssimas IES privadas em nosso país já puderam ter esse orgulho e por essa razão fico muito feliz em compartilhar com todos da Faculdade de Duque de Caxias e do Grupo esta honraria, tanto com os funcionários até o nosso presidente, desejo que sintam-se todos imortalizados em nossas letras, mas principalmente, na transmissão dos mais variados e importantes saberes que fazemos com uma dedicação ímpar para formar cidadãos e profissionais que o nosso país tanto precisa”, finaliza o professor Flavio Chame Barreto.




Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado.




    Seja o primeiro a comentar!