Notícias

Alunos da FASP visitam Projeto Crack Zero

Data: 27/12/2021 | 0 Comentário


Compartilhe

          

No dia de 30 de novembro, os graduandos do 8º ao 9º semestre do curso de Enfermagem da FASP -  Faculdade de São Paulo – Centro Velho realizaram uma breve visita ao Projeto Crack Zero, localizado no Sacomã, entidade que trabalha com apoio e reabilitação de pessoas com dependência química, sobretudo na dependência ao crack. 
 
O projeto é mantido com muita dificuldade, pois é escassa de recursos e parcerias, onde os chamados alunos (aqueles que estão em tratamento), são mantidas em condições bem simples devido tais carências, muitas vezes as pessoas em tratamento compartilham um único quarto com um banheiro, com mais de cinquenta pessoas. 
 
Na casa os alunos recebem alimentação, acomodação, apoio socioemocional e encaminhamento ao serviço de saúde, o modelo de trabalho adotado pela casa usam o princípio de ofertar café e limão para reduzir o desejo do uso de drogas, segundo representantes da entidade o método adotado pela a casa apresentam um resultado de 35% de eficácia.
 
Para os alunos do 8º semestre que cursam a disciplina de Saúde Mental e Psiquiatria com o Prof Wellington Ribeiro, que propôs e acompanhou a visita, essa é uma forma de ter uma avaliação crítica e prática do tema abordado em sala de aula, os alunos se comoveram com a simplicidade e com a maneira de trabalho vista na casa. 
 
 
Entre os dias 29 e 30 de novembro, os graduandos do 8º ao 9º semestre do curso de enfermagem da FASP -  Faculdade de São Paulo – Centro Velho tiveram a oportunidade de colocar em prática as atividades aprendidas durante o curso, em parceria com a Obra Social Sta Edwiges, entidade que a mais de 50 anos atua na assistência social nas regiões do Sacomã e Heliópolis.
 
 Os discentes atuaram, com a supervisão do Prof Wellington Ribeiro, na avaliação de enfermagem das crianças atendidas pela as duas unidades pertencentes a entidade, que no total atendem 300 crianças e adolescentes, entre 5 e 15 anos. 
 
Os alunos realizaram avaliação antropométrica, IMC, exame físico com avaliação capilar e busca de pediculose e avaliação oral. Além de colocar em prática e treinar ausculta cardíaca e pulmonar, aferição de pressão arterial, saturação, temperatura e glicemia. Os alunos relatam terem ficado muitos satisfeitos com a experiência, com o trabalho realizado da entidade com as crianças e com o acolhimento que a mesma teve com os alunos, inclusive fornecendo almoço e café para toda equipe nos dois dias de trabalho.



Deixe seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado.




    Seja o primeiro a comentar!